Psicoterapia Infantil

A psicoterapia adaptada à linguagem infantil e voltada para a compreensão e superação das dificuldades da criança, bem como para orientação dos pais.



O mundo da criança

A criança tem um modo próprio de se expressar e se relacionar com o mundo, que é por meio do brincar. O brincar é a linguagem da criança. Por isso a psicoterapia de crianças é também chamada de ludoterapia, devido ao seu caráter lúdico. Essa adaptação da linguagem e das técnicas psicoterápicas aos diferentes estágios de desenvolvimento da criança é fundamental para eficácia da terapia.

Assim, as dificuldades que a criança está vivendo, seja na escola, na família ou na vida em geral vão se revelando na relação com o psicólogo por meio do brincar, ao mesmo tempo em que se abre a oportunidade para a intervenção terapêutica, que visa:

  • Ajudar a criança a entender o que está acontecendo com ela, suas dificuldades, preocupações e sentimentos que a fazem agir de determinadas maneiras;
  • Auxiliar a criança na superação das suas dificuldades e no desenvolvimento de suas potencialidades;
  • Promover uma melhor interação da criança com ela mesmo e com o mundo.

Neste sentido, a psicoterapia infantil representa um caminho que traz esperança à criança, a seus pais, professores e todos aqueles que querem o seu bem-estar. Esperança de que as coisas ficarão bem e de que a criança se reorganizará emocionalmente de modo a seguir sua vida transformando-se num ser autônomo, feliz e com força suficiente para lidar bem com as adversidades da vida.

Outro aspecto importante da psicoterapia de crianças é a orientação dos pais sempre que necessário, no sentido de como eles podem contribuir para um resultado mais efetivo do tratamento psicológico de sua criança.


Agendar sua Consulta

Quando devo procurar um psicólogo(a)?

O que esses relatos têm em comum?

Em todos eles notamos a presença de comportamentos que podem estar indicando a existência de um problema. Essas crianças estão passando por algum conflito (que é sempre muito pessoal, singular) que, por sua vez, está afetando sua maneira de pensar e agir e se transformando em sofrimento não só para elas mas também para todos em seu entorno.

Inúmeras são as situações que podem indicar problemas pelos quais as crianças estão passando e que se não forem devidamente olhados e tratados poderão evoluir para algo mais complexo ou até mesmo, como ocorre em alguns casos, para um transtorno psicológico grave.

As dificuldades infantis tratadas na psicoterapia

Veja abaixo alguns exemplos de como a psicoterapia pode ajudar as crianças. Caso você esteja em dúvida se é um caso para psicoterapia, o próprio psicólogo(a) poderá lhe auxiliar a avaliar o grau da dificuldade e sofrimento que seu filho(a) está vivendo.

  • Dificuldades de relacionamentos com os pais, irmãos, amigos, professores ou coleguinhas
  • Baixo desempenho escolar, dificuldades de aprendizagem
  • Agressividade exagerada, a criança briga muito
  • A criança é muito fechada e fica incomodada perto de outras pessoas
  • A criança é muito preocupada e tem dificuldades para dormir
  • A criança conta muitas mentiras
  • A criança é muito agitada, tem dificuldades para se concentrar e não tem interesse em realizar certas atividades importantes ou obrigatórias para o seu processo de crescimento
  • A criança passou por experiências de bullying
  • Separação dos pais
  • Perdas de pessoas queridas
  • Perda do animalzinho querido
  • Mudança de casa ou de escola
  • Transtornos mentais em que é necessário o uso de medicamento
  • Timidez excessiva, dificuldade de expressão, baixa autoestima
  • Doença grave na família ou da própria criança
  • Deficiência física ou mental
  • Criança autoritária e sem limites
  • Ciúmes excessivo
  • Dificuldade de perder em jogos
  • Crianças que se auto agridem
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)
  • Chora por “qualquer coisa” ou sem motivo aparente
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Obesidade
  • Tristeza
  • Quando a criança não tem apetite
  • Quando a criança não quer brincar
  • Quando a criança não quer ir para a escola
  • Quando a criança não quer ver outras crianças
  • Quando a escola reclama da disciplina da criança
  • Não sai do videogame
  • Nascimento de um irmãozinho ou irmãzinha
  • Medo do escuro, pesadelos, dificuldade pra dormir
  • Criança que não consegue largar a chupeta e/ou a mamadeira
  • Enurese noturna
  • Encoprese infantil
  • Abusos
  • Alienação parental
  • Autismo

Ser criança não é fácil...

De modo geral, podemos dizer que ser criança não é fácil. Um ser completamente dependente, num mundo de “gigantes”, cujas regras ela não ajudou a criar; com uma capacidade de compreensão mais limitada, seja do que se passa consigo mesma, seja no mundo ao seu redor. Em outras palavras, uma criança pode viver angústias muito complexas e difíceis de serem expressas verbalmente (quando não impossíveis), e que, se não forem devidamente tratadas logo, podem se agravar e cristalizar, gerando uma série de dificuldades e restrições existenciais e podendo se estender indefinidamente.

Um problema pequeno hoje, grande amanhã

Não é à toa que costumamos dizer que “a infância é a base”. Tudo o que pudermos fazer hoje para que as crianças se desenvolvam melhor, será muito compensador, tanto agora quanto no futuro. Todo mundo sabe que é muito mais fácil tratar um problema (assim como uma doença) quando ele ainda está no início. Quanto mais os pequenos conseguirem compreender as situações e sentimentos que fazem emergir seus conflitos e, sobretudo, como lidar com eles, mais estarão aptos a contribuir para a construção de um mundo mais saudável e feliz para todos. A criança saudável de hoje é o adulto saudável de amanhã.

AGENDAR SUA CONSULTA

Queremos lhe oferecer o melhor atendimento possível. Por isso, você será atendido diretamente por um(a) psicólogo(a) de nossa equipe.
Preencha o formulário abaixo ou envie uma mensagem para (11) 99554-3806 que retornaremos o mais brevemente possível.


Seu nome:*
Seu telefone:
Seu e-mail:*

Observações:

A psicoterapia adaptada à linguagem infantil e voltada para a compreensão e superação das dificuldades da criança, bem como para orientação dos pais.

O mundo da criança

A criança tem um modo próprio de se expressar e se relacionar com o mundo, que é por meio do brincar. O brincar é a linguagem da criança. Por isso a psicoterapia de crianças é também chamada de ludoterapia, devido ao seu caráter lúdico. Essa adaptação da linguagem e das técnicas psicoterápicas aos diferentes estágios de desenvolvimento da criança é fundamental para eficácia da terapia.

Assim, as dificuldades que a criança está vivendo, seja na escola, na família ou na vida em geral vão se revelando na relação com o psicólogo por meio do brincar, ao mesmo tempo em que se abre a oportunidade para a intervenção terapêutica, que visa:

  • Ajudar a criança a entender o que está acontecendo com ela, suas dificuldades, preocupações e sentimentos que a fazem agir de determinadas maneiras;
  • Auxiliar a criança na superação das suas dificuldades e no desenvolvimento de suas potencialidades;
  • Promover uma melhor interação da criança com ela mesmo e com o mundo.

Neste sentido, a psicoterapia infantil representa um caminho que traz esperança à criança, a seus pais, professores e todos aqueles que querem o seu bem-estar. Esperança de que as coisas ficarão bem e de que a criança se reorganizará emocionalmente de modo a seguir sua vida transformando-se num ser autônomo, feliz e com força suficiente para lidar bem com as adversidades da vida.

Outro aspecto importante da psicoterapia de crianças é a orientação dos pais sempre que necessário, no sentido de como eles podem contribuir para um resultado mais efetivo do tratamento psicológico de sua criança.

Agendar sua Consulta

Quando devo procurar um psicólogo(a)?

O que esses relatos têm em comum?

Em todos eles notamos a presença de comportamentos que podem estar indicando a existência de um problema. Essas crianças estão passando por algum conflito (que é sempre muito pessoal, singular) que, por sua vez, está afetando sua maneira de pensar e agir e se transformando em sofrimento não só para elas mas também para todos em seu entorno.

Inúmeras são as situações que podem indicar problemas pelos quais as crianças estão passando e que se não forem devidamente olhados e tratados poderão evoluir para algo mais complexo ou até mesmo, como ocorre em alguns casos, para um transtorno psicológico grave.