Quem são as pessoas com deficiência?

Quem são as pessoas com deficiência?

Por: Karina Galvão – Psicóloga

Muita gente já se perguntou um dia sobre o que é ser normal. Para o senso comum é ser igual, atender a requisitos, se encaixar a um modelo. Mas, o modelo social esperado pode ser uma forma de discriminação.

Nos últimos anos, cada vez mais, ouvimos falar sobre as dificuldades enfrentadas no cotidiano das pessoas com deficiência. Dificuldades para locomoção de forma autônoma devido a falta de acessibilidade nas ruas, comércios e transportes. Ouvimos falar da dificuldade na comunicação com os deficientes auditivos e visuais. E, de forma bastante pontual da invisibilidade das pessoas com outros tipos de deficiência, como intelectual, síndromes, múltiplas, etc.

Muitas dificuldades são enfrentadas pela população deficiente, e quanto mais severa a deficiência, maior e mais complexo será o seu desafio, pois na maior parte das vezes o grau de independência é baixo e a possibilidade de expressão, também. São vistas como pessoas incapazes de qualquer tipo de compreensão, escolha, opinião e até de possuírem sentimentos. Há uma diminuição das reais capacidades. A vitimização e a infantilização são aspectos recorrentes aos olhos externos.

A deficiência, por si, traz para o indivíduo questões secundárias, aquelas que são decorrentes da mesma (ajustamento social, limitações, possibilidades de autonomia, aprendizagem, relações interpessoais, etc)

Pensando neste indivíduo, é possível entender como o atendimento multidisciplinar é essencial. E, incluir de forma efetiva a Psicologia como um dos tratamentos é necessário para uma evolução sadia e permanente.

A psicoterapia vem com a proposta de provocar, dentro das possibilidades de cada indivíduo, seu autoconhecimento, formas de desenvolvimento dentro das suas reais possibilidades, como expressar o que sente, pensa ou deseja. Buscar a melhor alternativa para se comunicar com o mundo que o cerca e possa se sentir como único e individual. A relação desenvolvida entre profissional-pessoa é muito importante e poderá ser o meio para o alcance dos resultados. Será através dessa relação que o entendimento das diversas mudanças ocorridas em razão da deficiência, poderão ser melhor entendidas.

Pela psicoterapia será possível conhecer e se aproximar, profissional e pessoa, de conteúdos que geram sofrimento e empecilhos para aceitação do real estado do paciente.

O psicoterapeuta, através dessa relação desenvolvida, poderá estimular, proporcionar e facilitar condições para a aceitação dessa condição. Quanto mais próximo a pessoa estiver da sua realidade de maneira consciente, poderá se tornar um indivíduo equilibrado e pronto para lidar com o mundo que o rodeia, sendo capaz de interagir a partir de si, com suas limitações, expectativas e possibilidades reais. Quanto mais próximo dessa “normalização”, mais empoderamento ele terá de seus direitos, deveres, responsabilidades, emoções, como qualquer outra pessoa.

A psicoterapia pode ser uma experiência transformadora. Através dela descobertas são feitas, pensamentos e desejos são melhor entendidos, realizações são alcançadas e qualidade de vida é conquistada. Qualidade de vida para o indivíduo e também, aos que estão ao seu redor, no seu contexto familiar e aos que de alguma forma participam da sua vida. Fazer psicoterapia é buscar o controle da sua própria vida com consciência. Busque ajuda e apoio profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *